sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Peão apaixonado

Essa e minha historia de vida
quero voltar a ser o peao chucro
que tudo sabe e que ninguem
o vê.
Presciso de você

Preciso te dizer
O que acontece com meu coração
Ele é vazio sem a sua atenção

Preciso de você
Como os peixes precisam
De água pra sobreviver
Não sou nada sem você

Preciso de você
Do seu coração
Para quando meus olhos eu fechar
Poder senti-lo bater bem próximo
Ao meu

Preciso de você
Do seu carinho, do seu amor
Mesmo que seja em pequenas gotas
Aliviando assim a minha dor

Preciso de você meu amor...

Autor: Joubert Tadeu

Há tempo para um amor

Há tempo para um amor...


Surge na imensidão da noite
claro como flocos de algodão
Ele meu peão apaixonado
gritando em cima de um cavalo bravo
gritos que alcança meu coração
e corta como uma canção de amor
Meu peão apaixonado
Sei que é anjo e deve ser dourado
Em seus pensamentos tão absortos
leva a mão no peito, pensa em mim
quebra todo encanto de um amor absurdo
mas que embeleza meu espírito jovem
Quero-te só para mim, mesmo que busque-o nas estrelas
És soneto de amor eterno
Doce peão apaixonado
Meu anjo adorado, que no cavalo faz proezas
Te amo meu coração
Em seu cavalo e branco de arriata dourada
com as argolas pratas de inox
com o peitoral de couro
Faz tudo virar paixão...

Para meu amigo Joubert Tadeu, um peão que diz ser chucro e que um dia vai voltar para o sertão.(Bambuí Mg)

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Poesia

Poesia

O que trago dentro de mim é feito em versos.
Ecoam como suaves pios de uma cotovia
Vêm simples como as estrelas, a Lua e o sol.
São encantamentos como o desabrochar de uma flor
E o choro de uma criança recém nascida.
São feitas em versos; leves como o vento
São poesias que deixam meus dias, com
Ritmos e melodias.

Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio

A Carta

A Carta

Ligo o rádio, ouço uma bela melodia.
Abro a carta com muito cuidado
Leio as primeiras linhas...

Ao ritmo da bela canção
Saboreio as notícias que vem de longe
Notícias do meu bem querer...

Quanta comunicação numa carta feita
Com tamanha dedicação...
Palavras que dão vida ao meu coração.

Frases completas, repletas de emoção
Matamos as saudades então.

Ele o remetente; anjo Apaixonado
Eu o destinatário; Flor enamorada.
A carta simplesmente, o doce cupido.

Autora: Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Peça Teatral- Drogas As Tentativas

O trabalho de prevenção às drogas na escola é muito importante para a formação dos nossos alunos. A peça teatral é uma maneira de atingir o público alvo sem causar constrangimento, além de atingir um número satisfatório de pessoas assistindo e que, posteriormente poderão divulgar o que viram.
A droga é um dos maiores problemas enfrentados por pessoas de todas as idades. É um problema que além de destruir fisicamente e mentalmente quem as usa, destrói também as famílias e gera violência, prostituição e também gastos com saúde pública e privada.
Três crianças ou adolescentes apresentam no palco uma peça com objetivo de prevenção contra as drogas.

Personagens

(Três adolescentes: droga, cigarro e bebida alcoólica. Dono da casa; Eduardo um menino pobre)

Época presente
Lugar da cena (sala da casa)


CENA 1
Jovem I (droga chega batendo na porta bem forte com um pacotinho na mão)

JOVEM 1: Toc... toc... toc...

(Eduardo de dentro da sala vai caminhando até a porta)

EDUARDO: _Quem bate?
JOVEM 1: _Sou eu a droga!

EDUARDO: _Droga? Pra que droga?
EDUARDO: _Não! Vá embora!
EDUARDO: _Não quero te conhecer muito menos experimentar!

JOVEM 1: _ Abra só um pouquinho!
Sou eu que vou cruzar seu caminho
Causo câncer, deixo o cara fraquinho!

CENA II

(Logo chega o jovem 2 com um cigarro na boca e outro na orelha e vai bater na porta, mas antes dá um toque na mão da droga, que sai de cena gingando o corpo).

JOVEM 2: Toc... Toc... Toc...
EDUARDO _Quem bate?
JOVEM 2 _Sou eu o cigarro!

EDUARDO: _Cigarro? Pra que cigarro?
EDUARDO:_Você não é bem fedido! Além de ruim; é claro!
(jovem 2 bem nervoso e esmurrando a porta)
JOVEM 2 _Abraaa! Preciso destruir seus dentes!
_Cegar você até ter que usar lentes.
_Secar e destruir seu bom coração,
_Totalmente!
( jovem dois abaixa a cabeça e sai de fininho)
EDUARDO: _Nunca, acha que sou louco! Vá embora para sempre!
CENA III
(Jovem 3, a bebida alcoólica chega com uma garrafa na mão toda esfarrapada e bêbada e bate na porta)
JOVEM 3 - Toc... toc ... toc...
EDUARDO: _Quem bate?
JOVEM 3: _Sou a bebida alcoólica!

EDUARDO: _Bebida alcoólica?
_Pra que bebida alcoólica?
_Não! Vá embora! Prefiro dizer estou fora!

JOVEM 3: _Abra! Preciso ver você caído nas ruas, sem nenhum abrigo.
Sujo, esfarrapado e sem saída!

EDUARDO: _Pode cair fora! Sou forte
_Tenho sorte. Já tenho prazer!
_Sei o que fazer pra ficar longe de você!

_Na minha vida feliz prefiro rezar, estudar,
ler, comer, dançar, ir ao cinema e ver TV.
_Sou forte podem crer!

(A bebida alcoólica saiu cambaleando e vai embora resmungando e Eduardo dá um suspiro bem profundo e cai na cadeira aliviado)
EDUARDO _ Imagine só se vou abrir as portas de minha vida para essas três tentações!
Resistirei sempre! (abre a palma da mão e mostra para o público)

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

O ninho do amor


Ninho feito com Amor

Dois minúsculos passarinhos
Fizeram um ninho
No vaso em flor
No prédio ao lado
Nada verde
Tudo rosa e linho
No aconchego desse fofo ninho
Perto da piscina
Tanta água
Mas sem mágoa
Um moleque descobriu o ninho
Com o passarinho e três ovinhos
E com um olhar voltado para o céu diz:
Que benção meu Deus...
O ninho feito com amor.

Autora: Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio
O ninho realmente existe.

sábado, 10 de julho de 2010

O Coração


O coração é uma porta aberta
os anjos entram e anuciam que o amor chegou
se o coração não tem compaixão
abre enormes feridas se o amor não for
correspondido
então...
O sofrimento não tem medida
o coração é uma porta aberta
estranho... o que se sente é dor!
o que chamam de amor...

Maria Teresa Cambronio

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Sanidade de Ismália - Intertextualidade


Sanidade de Ismália

Pela força do amor, pela magia do anoitecer e amanhecer.
Ismália se curou.
Vejo sanidade em Ismália,
Mesmo ao desejar a Lua refletida nas águas do mar...
Mesmo ao pensar que a terra gira para embalá-la.
Ainda que com asas, visite as estrelas cintilantes e traga caquinhos...
Que voe para suavizar sua tristeza.
Que vá em outra dimensão...
Vejo sanidade em Ismália
No banhar enluarado, no repouso de seus pensamentos, no
limiar dos seus sentimentos.
Mesmo sonhar, amar o mar, amar a Lua...
Não é loucura Ismália...
Autora: Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio ( Contestando a sanidade de "Ismália" poema de Alfonsus Guimarães)

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Pensamentos de Maria Teresa Cambronio

O necessário ao sucesso não é perder ou ganhar é jogar com sabedoria.





Sou como a água imponente que corre sem nada temer: sou como as pedras que rolam pela força dessa àgua.




Os passarinhos sabem onde encontrarem água.
Os insetos bebem-na numa gota de orvalho....
O homem polui-a e desperdiça-a.



A cor da pele não faz os homens diferentes, mas únicos perante Deus!



A pigmentação da pele não pode estar em questão em um país que se fundiu três raças e formou esse povo tão hospitaleiro, o Brasileiro.


Sou como aquelas rochas que só desmancham com a ação do tempo.


Quando o problema não tem mais solução é sinal que já houve a resolução.


Só peço a Deus que livre-me do egoísmo que a alma destrói.


A natureza é a obra prima que Deus nos presenteou para admirarmos e lembrarmos de agradecer por fazermos parte dela. Então agradeçamos cuidando e preservando.


A maior vergonha de um professor é saber que ele alfabetizou os políticos que decidem como remunerá-lo tão mal.



Autora:Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Big Bang


O Universo

Movimento!

Balé Divino!
Planetas, cometas, estrelas, luas...
Num harmonioso show natural.

A explosão!

Criador, energia infinita,
Princípio meio e fim.
Radiação de amor.

Universo é Deus,
Tudo nele gira move remove.
É elástico,
É fantástico! É real!
E continua expandindo...


Autora: Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio
Livro editado em 2007 " Meus Momentos"

Texto para o estudo de Física - Movimento

O MUNDO QUE MOVIMENTA

Um belo e grande navio movimenta no mar deixando para trás um rastro de espuma branca que parece uma pluma.
Uma grande trajetória, para contar a história de modo retilíneo e curvilíneo!
Um avião gigantesco, cujas asas parece as de um grande gavião,
faz um trajeto no céu azul, em dia de nuvens brancas. por onde passa deixa lançar bombas de balas e bombons de cores diversas.o piloto que as observa cair ver que tudo desce numa reta vertical para baixo.As crianças enlouquecidas e frenéticas, cá embaixo na terra, vêm uma grande parábola no ar.
Em relação ao imenso Oceano Atlântico, o navio é apenas um ponto material.
O avião ao aterrizar no aeroporto da cidade de Paracatu, torna-se
um objeto identificado nas suas dimensões, ou seja é um “um corpo extenso”.
O mundo movimenta e os ponteiros de um relógio podem demonstrar o movimento circular!


Autora: Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio

Interpretação do texto

1) Como é chamada a linha descrita por um ponto material?------------------------------------------------------------------------------------------ -------------------------------
2) Quando a trajetória do móvel é uma linha reta é chamada de----------------------------------------------------- 3) E quando se trata de uma curva?----------------------------------------------
4) A autora mencionou no texto, uma bomba de balas e bombons: explique como um observador que está no avião e um observador que está na terra, vêm a trajetória dessa bomba.----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
5) Defina corpo extenso e ponto material.-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Intertextualidade

A interxtualidade presente nas peças "A gaivota"/"Hamelet": Tchecov/Shakespeare.

Em primeiro lugar lembrarei aqui brevemente o que é intertextualidade. Intertextualidade é quando ocorre um diálogo entre dois textos, podendo abranger não somente em obras literárias, mas em uma infinidade de tipos textuais.
Por exemplo entre a peça de Shakespeare "Hamelet e a peça de Thecov " A gaivota" faço um breve comentário sobre intextualidade das duas.

*A relação entre mãe e filho (Arkadina e Treplieff) é um reflexo do que ocorre entre o filho Hamelet e a mãe, Gertrudes em "Hamelet".
Tanto Arkadina quanto Gertrudes têm muita pompa e fama. Uma é atriz renomada (Arkadina) e a outra é rainha da Dinamarca ( Gertrudes)
* Nina comenta sobre a pouca ação que há na peça. Em Hamelet mostra a intextualidade, quando se fala como os atores devem apresentar a peça à corte.
* Em Hamelet há um desafio a um duelo entre o tio e o marido de sua mãe Gertrudes. Em "A Gaivota", Treplieff duela com o padrasto, do qual por motivo de ciúmes da amada, não era de seu agrado.
*O suicídio também presença de intextualidade; Em Hamelet, Ofélia se mata em um lago e em "A Gaivota", Treplieff tenta suicídio no acto II e depois há o suicídio com arma de fogo.
* Encontrei outras presenças de intertextualidade: Posição social, opiniões sobre vida e morte, gosto pela água, misticismo, amor insatisfeito etc.

Maria Teresa - Artes Teatro - paracatu

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Luz e música no teatro



Como Deus e Mileto

A luz era boa, Deus viu e separou-a das trevas.
Talles de Mileto em seus passeios diários sem querer
esfregou âmbar em pelo de gato e logo a luz elétrica
surgiu.
A partir do século XVII, a luz elétrica delimita o espaço cênico!
Figuras de fundo, dão lugar à luz,
que em qualquer ponto que incide
uma nova ação se faz!
Harmonia entre objetos e atores
modela o rosto de quem está em cena
é vida difundindo em cores
Viva o som!
música dialoga com movimentos suaves e rápidos do ator
desnuda seu estado interior e divinamente
contracena com a luz
Luz e som são elementos vivos do teatro
revelam emoções e sentimentos
Como Deus e Mileto ...

Poema de Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio - Artes Teatro - Paracatu

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Você



Você...

Quando te conheci minha vida era sem cheiro, sem cor.
Você surgiu como um raio de luar aquecendo meu coração
que há muito não sentia amor.
O momento foi de magia
você falava e eu ouvia
ouvia com meu e coração
Foi assim tão simples...
Somente eu e você
o doce e o prazer
o sentir e o querer...
como a vida que brota
como o céu e o mar
a relva e o orvalho
da cor do pecado
assim... amo você
v
o
c
ê

é demais enfim...

Maria Teresa Cambronio

sábado, 3 de abril de 2010

De Valéria para Maria Teresa


Teresa

Do ar você é a brisa mansa.
Das flores o cheiro,
Do céu as estrelas
Do mar as ondas, que vão e que vêm, mas sempre presentes.
Da primavera são as flores,
Flores que encantam embelezam que revelam sentimentos, que enfeitam.
Cada uma delas representa suas qualidades, até mesmo aquelas que faltam pétalas, pois mesmo assim, não deixam de serem flores.
Assim é você! Mesmo com defeitos, não deixa de ser simplesmente Teresa.
Teresa quer dizer beleza, realeza, que traz surpresas...
Não posso mais escrever, sabe por quê? Porque o céu, o mar, as flores, a floresta, as palavras... São apenas encantamentos, que se completam, quando se pensa em você Teresa.

Autora: Valéria Oliveira Melo Gomes

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Paracatu













Paracatu


Terra amada e hospitaleira,
Onde repousam os mais belos colibris.
A serra da Boa Vista
abre as vistas a ela,
cidade cantada por Afonso Arinos,
Oliveira Melo, Lavoisier Albernaz,
Aparecida Teixeira e muitos mais.
Terra varrida pelos escravos,
em busca do ouro que brilha.
Aqui se fez muita história.
Aqui se faz muita glória.
Tem pequi, jatobá, murici e ingá.
No canto dos bem-te–vis,
Há alegria e poesia.
No sossego das fazendas,
no molejo das morenas
e no gosto da cachaça
fazem belas serenatas.
Paracatu...

Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio-Livro "Meus Momentos" Ed Paracatu 2007

terça-feira, 30 de março de 2010

Para fazer uma ótima performance!

Tentativas


Toc... toc... toc...
Quem bate?
Sou eu a droga!

Droga? Pra que droga?
Não! Vá embora!
Não quero te conhecer muito menos experimentar!

Abra só um pouquinho!
Sou eu que vou cruzar seu caminho
Causo câncer, deixo o cara fraquinho!

Toc... Toc... Toc...
Quem bate?
Sou eu o cigarro!

Cigarro? Pra que cigarro?
Você não é bem fedido! Além de ruim; é claro!

Abra preciso destruir seus dentes
Cegar você até ter que usar lentes.
Secar e destruir seu bom coração,
Totalmente!

Toc... toc ... toc...
Quem bate?
Sou a bebida alcoólica !

Bebida alcoólica?
Pra que bebida alcoólica?
Não! Vá embora! Prefiro dizer tô fora!

Abra! Preciso ver você caído
nas ruas, sem nenhum abrigo.
Sujo, esfarrapado e sem saída!

Pode cair fora! Sou forte
Tenho sorte. Já tenho prazer
Sei o que fazer pra ficar longe de você!

Na minha vida feliz prefiro rezar, estudar,
ler, comer, dançar, ir ao cinema e ver TV.
Sou forte podem crer!


Autora: Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio

Homenagem para Maria Laura

Maria Laura

Seu nome expressa firmeza
Nome escolhido por quem te ama.
Seus olhos cor de mel transmitem muito fascínio.
Sua alma é bondosa, Maria Laura.
Ora cantarola canções com os lábios
Ora compõe belas melodias.
Assobia, assobia Maria Laura
Que anjos toquem os sinos
Que Deus te proteja menina
Dona desse sorriso tão puro,
Lindo sincero.


Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio - Paracatu MG

Entardecer

















Entardecer

Quanta harmonia acontece
Ao anoitecer nesse sítio.
Um bando de araras
Surge no céu azul
Um par de tucanos
Faz algazarra ao retornarem
Ao alto do buriti
Leito macio e naturalmente protetor.
Insetos aos milhares vão se aconchegando nas folhas.
O quase silencio é quebrado pelo barulho das águas mansas do rego.
Flores de todas as cores
Perfumam o ar.
Quase tudo já dorme,
Até mesmo a luz do sol.
Três gansos remam sobre as água
Represada.
Combinam com a longa noite que está por vir,
São andarilhos da mesma!
Como é gentil o cair da noite.
Os pirilampos chegam atrasados formando focos de luz.
A paz aqui não se acaba...

Escrevi este poema na fazenda Paraíso, de meus amigos Cléria e Juarez. O lugar é divino. O entardecer lá é idêntico ao que retratei em,"Entardecer".

Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio

Obras de arte com material de baixo custo.







Estas fotos foram tiradas por mim em Viçosa, na UFV em 2005, quando fiz o Curso Pró-ciências. As primeiras fotos eu tirei dentro de um caleidoscópio(jogo de três espelhos planos dentro de um pedaço de cano. As pinturas foram pintadas com tintas feitas de terra de várias tonalidades e cola branca. Um trabalho interessante e ao mesmo tempo gratificante, pois não degrada o meio ambiente.

Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio

terça-feira, 23 de março de 2010

Minha cachorrinha Luna





Luna



Minha cachorrinha Luna é da raça Dálmata.
Ela é surda mas nós a tratamos com muito carinho.
Para chamá-la usamos jogar carocinhos de milho de pipoca. Assim ela alerta e olha.
A cadela é muito esperta, quando chego do colégio, depois que se passam uns dois minutos, ela sente meu cheiro e começa a latir até eu abrir para ela fazer sua festa.
Gosta muito de frutas e come ração duas vezes ao dia. Quando vamos regar as plantas, a danadinha entra debaixo da torneira para banhar-se.
Nossa cachorrinha fanfarrona é modelo fren
te as câmeras fazendo várias poses. Vejam nas fotos acima!
Abraços Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio

domingo, 21 de março de 2010

Homenagem aos colegas e professores de Artes Teatro - UNIMONTES


Dia Internacional do Teatro- 27 de março



O teatro surgiu desde os tempos primitivos, quando homens imitavam animais. Eles se reuniam em volta de uma caverna no período nda noite.
Contam que numa noite quando a luz da fogueira refletia na parede da caverna, um rapaz levantou-se do grupo que estava agachado em volta da fogueira e começou a imitar o cenário refletido. Logo depois o resto do grupo também passou a imitar tal fato.
A representação existe desde essa época e perdura até os dias atuais, divulgando nossa cultura maravilhosa e realizando performances espetaculares em todos os cantos. Homens e mulheres juntos, resguardando a simbologia do teatro e sua história magnífica e intrigante. "A máscara" é o maior símbolo do teatro.
Esse pequeno texto é uma homenagem a meus colegas e professores de Artes Teatro da UNIMONTES- 2010

Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio - Paracatu MG

Postagem 2- Inteligência coletiva e Navegar no Ciberespaço de Pierre Lévy.



UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS
CENTRO DE CIENCIAS HUMANA
DEPARTAMENTO DE ARTES
CURSO: Pró-licenciatura Teatro
POLO: Paracatu
MODULO: XII
TAREFA: 2 -InteligênciaColetiva e navegar no Ciberespaço.
ACADEMICO: Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio
Inteligência coletiva é aquela distribuida por toda parte em tempo real que resulta em mobilização efetiva das competências. A base e a meta da inteligência coletiva são o reconhecimento e o enriquecimento mútuos das pessoas e não o culto de comunidadesfetichizadas e hipostasiadas. Seu ideal implica a valorização técnica, econômica, jurídica e humana de uma inteligência distribuida por toda a parte, a fim de desencadear uma dinâmica positiva de reconhecimento e mobilização das competências.(Pierre Lévy)
Pierre Lévy, pós graduado em História da Ciência, doutorado na área da Ciência da Informação e das Comunicações. Trabalha desde 2002 com pesquisa em inteligência coletiva na Universidade de Ottawa no Canadá.(Wikipedia)
Para Lévy é de suma importância que os educadores estejam envolvidos no contexto com a realidade com que os jovens lidam nos dias atuais; as tecnologias contemporâneas que configuram uma nova forma de aprender e ensinar.
Para ele, cada jovem tem sua potencialidade, particularidade cognitivas desenvolvidas no seu espaço sociocultural e são leitores contemplativos, movente e imersivo.
Com o uso de recursos digitais contemporâneos haverá uma grande transformação na interação entre alunos e professores, tornando esses alunos autônomos, capazes de expressar pensamentos, aumentando o poder de criticidade e consequentemente levando-os a serem mais sensíveis.
Segundo Lévy, o leitor movente que é aquele resultante da revolução industrial é um leitor assíduo que usa uma simbologia de uma grande cidade. É um leitor apressado e sedento do progresso e a rapídez de informações. São leitores que sempre renascem nas novas tecnologias, nessa época eletrônica e televisiva.
O mundo digital leva as pessoas em geral, à busca de novas soluções, socialização, exercício da escrita, dar pontos de vista, decodificar, interpretar com rapidez e tomar decisões.

Texto escrito por: Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio- Artes Teatro UNIMONTES Polo - Paracatu

Postagem 1 Meios contemporãneos de comunicação



UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS
CENTRO DE CIENCIAS HUMANA
DEPARTAMENTO DE ARTES
CURSO: Pró-licenciatura Teatro
POLO: Paracatu
MODULO: XII
TAREFA: 1
ACADEMICO: Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio

Os meios contemporaneos de comunicação São: Fóruns, listas de discussões, blogs, fotoblogs, flogões, videoblogs, youtube, wikipedia, myspace, vídeos que destacam como úteis na formação e na transmissão de conhecimentos populares.
Antes o conhecimento acontecia apenas pela oralidade, hoje por data show, vídeo conferência, mp3, mp5, computador, lousa interativa e outros.
Estes meios de comunicação crescendo vem significativamente em relação ao número de usuários e vem mudando rapidamente o rumo da hstória da educação e da cultura. Algumas dessas mudanças, observa-se na música, nas artes visuais, que já absorvem o que de melhor a tecnologia contemporânea oferece. .
As pessoas e na maioria delas, estudantes usam desses recursos para divulgarem seus trabalhos escolares, expor suas críticas sobre um determinado assunto, divulgar o que de melhor podem fazer, informar algo às outras pessoas.
A wikipedia por exemplo é um dos maiores sites de pesquisa da internet. Nele as pessoas podem pesquisar e também interagir com o conteúdo postado lá, individualmenre ou em equipe. Ela é importante para educação mundial, porque lá alunos e professores podem produzir textos coletivamente.
Na contemporaneidade, os programas jornalísticos, de diversão, as revistas e os jornais interagem com seus públicos através dos blogs, twiter e outros. Quando se trata de programas ao vivo, a interação é feita com melhor qualidade ainda. Todos esse processos estimulam a aprendizagem das pessoas, tanto para quem são os donos e para quem os visitam ou são seguidores.
Para que todos os alunos e envolvidos na educação e cultura tenham acesso a alguns desses recursos, o Ministério da Educação e Cultura vem se esforçando no sentido de implementar ferramentas necessárias a inclusão digital em todo o país.
Fonte: Caderno Didático módulo XII páginas 33 a 38.
http://www.uff.br/gambiarra/artigos0002-2002/visuais/valborges/

quinta-feira, 18 de março de 2010

Ser Artista


Ser Artista


Aquele que usa seu talento artístico para ajudar a criar novos artistas mostra suas obras aos homens e, especialmente, a Deus.

Ser artista é calçar sapatilhas e dançar o balé da vida.
É desenhar um belo jardim.
Cantar canções e emoções.
Dançar samba no pé.
Representar ao mundo uma peça...
Pintar num quadro uma floresta encantada.
Que festa!
Jogar capoeira, num leve mortal,
Transformando... Levitando...
É escrever um livro em que caibam todas as obras de arte.

Autora: Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio (Livro "Meus Momentos") ed Paracatu, 2007

Tarefa 3 -Comentário sobre as músicas com temas de inclusão digital

Olá amigos! Resolvi colocar esse comentário no meu blog, porque achei interessante s leitura sobre músicas de cantores brasileiros, com tema da inclusão digital
Atrevo-me dizer que fascinada pelo computador e tudo que posso fazer com o uso dele. Sou conhecida através do google e pude divulgar meu livro pela net, sem gastar nada. Não tenho medo de enfrentar a máquina, pois ela veio para facilitar nossas vidas e encurtar a distância entre mundos e pessoas.
Em segundo lugar, venho comentar sobre a inclusão musical pela internet. Tem um portal do governo, com músicas de qualidade. Sempre que posso acesso. http://www.barulholab.com.br
coletivo digital. Nele podemos interagir também enviando ideias.
Gostei muito de Nação de Zumbi, porque mostra a realidade do mundo do pc. Gente fazendo arte, ganhando dinheiro, criando, fazendo fama.
Tecnológico- retrata tudo que podemos fazer usando os recursos que o computador nos fornece, com teclas e atalhos, para desvendarmos essa maravilha do mundo da cibernética.
A música de Gil, eu já ouvira antes e sempre achei a letra criativa e bem humorada. Relata também o que podemos utilizar na net.

Maria Teresa - Artes Teatro- Paracatu

terça-feira, 16 de março de 2010

Angélica

ANGÉLICA
Tudo aconteceu numa cidade do interior de Minas Gerais chamada Paracatu. Lugar que já foi cenário de histórias fantásticas, criadas em torno do ouro, da escravidão, dos amores perdidos e casos sem solução.
Nas redondezas do arraial do Santana, moravam o casal, Ana Angélica e Basílio com seus cinco filhos. Dentre eles tinha uma moça muito bonita que se chamava Angélica , dona de um par de olhos divinamente vivos e fascinantes. Possuia também uma vasta cabeleira negra, que fazia caracóis aveludados que além de realçar ainda mais a sua beleza, mostrava uma harmoniosa combinação com seus lábios vermelhos cor de tomate maduro.
À tarde Angélica sempre se arrumava ia para a janela da frente da casa, deixando cair sua farta cabeleira para o lado de fora. A pequena ficava ali horas a cantar uma melodia que suavemente invadia a alma de quem passava por aquela rua. Os vizinhos mais próximos eram ouvintes assíduos daquela cantoria.
Numa dessas tardes, um belo e formoso rapaz que passava por aquele local, ouvindo aquela voz, se aproximou, ficando simplesmente deslumbrado com a doçura e a beleza de Angélica. Um dia à noite voltou àquela casa e pediu a mão de Angélica em casamento. Os pais dela deixaram a resposta para ser dada em outro dia, isso com o intuito de procurar investigar a vida do rapaz e saber de suas posses e procedência, uma vez que naquela ocasião, o pai da garota era dono da única padaria do arraial e também filho de família tradicional da cidade.
Basílio descobre que o rapazinho era muito pobre e que colhia cabaças maduras no campo para vender de porta em porta. Foi o maior pé - de - vento! Houve a proibição do casamento entre os dois. Como Angélica também estava loucamente apaixonada pelo simplório rapazote, não resistiu, caindo em uma profunda tristeza.
O homem ao ver a filha naquele estado de abatimento, mostrou-se compadecido permitindo que o casamento se realizasse, só não imaginava que o infortúnio estava para acontecer. A moça buscando resistência física colocou o vestido de noiva da mãe no corpo foi até um terreno baldio envenenou-se e em seguida vindo a morrer. O rapazinho logo após o acontecido abandonou tudo que fazia e saiu como um mendigo pelo mundo a fora. As pessoas da cidade contam que até hoje, quem passa perto daquele terreno ouvem a melodia que Angélica cantava antes de conhecer seu único e verdadeiro amor.

Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio - Texto com o qual participei num concurso da FAFIPA.

A importância da Wikipédia para mim e outras pessoas.

A Wikipédia é uma fonte de pesquisa muito importante para as pessoas que se utilizam da internet.
Milhares de alunos e professores de todo o mundo são quem mais buscam esse recurso para facilitar a aprendizagem.
Para enriquecer meus estudos em Artes Teatro, procuro muitas vezes fontes de pesquisa na Wiki.É muito bom. Às vezes quando surge algum erro na página, ou que se tenha a necessidade de alterar algo é só editar e mudar. Só não podemos assinar. Devemos ter conhecimento de que o ítem postado lá poderá ser usado por todos. Tentei entrar lá e alterar algumas coisas sobre economia da cidade de Paracatu. Espero que seja aceita as alterações.
Tentem entrar lá também. É muito interessante!

Maria Teresa O M Cambronio

domingo, 14 de março de 2010

Tarefa 4- Peça Teatral

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS
CENTRO DE CIENCIAS HUMANA
DEPARTAMENTO DE ARTES
CURSO: Pró-licenciatura Teatro
POLO: Paracatu
MODULO: XII
TAREFA:4 Helpdesk - Peça teatral
ACADEMICO: Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio

Helpdesk “A salvação”

Muitas pessoas que utilizam o computador, uma hora ou outra têm dificuldades para operar a máquina. Para resolver certos problemas com a manutenção e operação de computadores, existe um serviço de apoio chamado helpdesk que pode ser dentro de uma empresa e fora dela, como prestadora de serviços. A resolução de problemas pode ser por telefone, e-mail e em outros meios de comunicação
Vitória e Gorete, secretárias de uma escola estadual, também não se diferem das demais pessoas. A falta de conhecimento técnico e até mesmo a falta de atenção levaram-nas a passarem por uma situação de constrangimento e precisarem desse tipo de apoio.
PERSONAGENS:
(Gorete, Vitória, Carlinhos e Maicon Marlen)
Época: presente Lugar da CENA (secretaria da escola)
CENA I
Vitória sentada à frente do computador. Passa a mão na cabeça, aflita.
Gorete entrando na sala.

GORETE: Boa tarde Vitória! Que cara é essa?
VITÓRIA: Ufa, Gorete não estou conseguindo acessar a internet nesse computador aqui.
Gorete andando rumo ao local onde Vitória estava sentada.
GORETE: Calma colega! Você está numa suadeira só! (tira um lenço do bolso e entrega Vitória)
GORETE: Deixe-me dar uma olhada nessa máquina ai, apesar de entender muito pouco sobre computador. Mal sei digitar os textos e salvá-los. Entrar na net aprendi com Karine ,outro dia!
Vitoria enxuga o suor
VITÓRIA: Olha Gorete já estou ficando louca nesta secretaria, todo mundo que trabalha aqui, nas folgas sentam aqui e vem acessar estes sites de relacionamento. É Orkut, MSN, twiter e acabam trazendo muitos vírus. Deve ser isto que está atrapalhando o funcionamento da internet!
Vitória com cara bem brava.
VITÓRIA: É lógico que só pode ser isso!
Gorete com cara de preocupação
GORETE: _ Você está me assustando Vitória! Será que não tem perigo de pegar o vírus
H1N1 em nós não?
VITÓRIA: (rindo) _Está surtando, está maluca, desorientada! Claro que não! Esses vírus não causam doenças aos humanos. São programas que danificam apenas os computadores, são espiões e deixam o PC funcionando mal ou inoperantes.
GORETE: Então é? _Que bobagem minha!
CENA II (Vitória, Carlinhos e Gorete)
Carlinhos entra na sala assobiando, trajando uma roupa de professor de educação física.
CARLINHOS: _Oi colegas boa tarde! Como estão meus amores! Posso acessar a internet aí Vivi?
VITÓRIA: _ Estou com um problema aqui Carlinhos, não sei se vai poder entrar na net não, acho que é vírus, pois a tela do PC está parada, clico e não conecta.
Gorete tosse limpa a boca e fala:
GORETE: _Vocês são espertos resolvam aí, estou atrasada para pegar o buzu, além do mais esse assunto está me estressando. Até mais!
Carlinhos e Vitória dão tchau para Gorete
CARLINHOS: _Vivi acho melhor não ficar mexendo muito aí, pode piorar. É melhor solicitar o serviço Helpdesk. É num instante o problema estará resolvido.
VITÓRIA: _Que é isso?
CARLINHOS: _ É um serviço especialmente para solucionar problemas com o PC, na operação e manutenção dele entendeu? Tenho o número da prestadora de serviços. O cara lá é meu amigo.
VITÓRIA: _ Que bom saber disso! Há momentos que passo um sufoco aqui, sem saber o que fazer. Quero que ligue para ele então e peça para vir aqui.
Carlinhos pega o telefone e disca para a loja
CARLINHOS- Bom dia! Aqui é Carlos da Escola Estadual Júlia, estamos com um problema com o acesso à internet, vocês podem mandar o Maicon Marlen aqui? _Então está bom, obrigado!
CENA III
(Maicon Marlen, Carlinhos e Vitória)
MAICON MARLEN _ Boa tarde sou o Maicon Marley, a senhora deve ser a Dona Vitória. (vira-se para Carlinhos aperta sua mão bem forte) _ E aí rapaz sumiu lá do clube! Bom te ver!
CARLINHOS _ Muito trabalho, mas uma hora dessas vou lá, para jogarmos uma bolinha.
MAICON MARLEN_ Então te espero lá! _ Agora me deixe dar uma olhada nessa belezura aqui.
Maicon dá uma olhada em volta do PC todo. Balança a cabeça em sinal de negativa, olha para os dois com cara de riso.
MAICON MARLEN_ O problema é simples de resolver e só vai custar um atendimento
(serviço de chamado) que custa R$35,00. Simplesmente o cabo da internet estava desconectado do PC!
VITÓRIA: Meus Deeeus a diretora vai me esganar se souber do acontecido!
CARLINHOS: Estou saindo, não quero sobra de bronca para mim. Até logo pra vocês!
Carlinhos sai deixando os dois na sala.
Vitória vai até a bolsa dela dependurada na cadeira, tira o dinheiro e entrega o rapaz.
VITÓRIA:_ Aqui está o dinheiro, muito obrigada! É melhor eu pagar do meu bolso para evitar desgostos.
MAICON MARLEN_ Até logo, se precisar de mim outra vez é só ligar, a senhora já tem o nosso telefone não é mesmo.
Maicon sai com cara de satisfação e Vitória se deixa cair na cadeira decepcionada.

Se existir na realidade mesmos nomes e lugar é mera coincidência.

Autora: Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio 15/03/2010.

sábado, 13 de março de 2010

O Vestido de Ivone

O vestido de Ivone


Conto como vi

Conto com encanto...

O que os olhos podem falar...

O vestido colorido de Ivone.

Cinco cores que compõem a forma

Do esbelto corpo da doce Ivone André.

Peça lhe cai como uma luva!

Consigo ver nos olhos de Ivone vida e alegria.

O vestido de Ivone é feito de malha,

Em tiras impecavelmente alinhadas...

Rosa a põe prosa e charmosa.

Amarelo combina com seus cabelos.

Preto emite respeito.

Vermelho mostra seu zelo.

O branco, a paz que ela traz.

Duas faixas do vestido de Ivone

Verde e vermelha, estão no arco-íris.

Outra, no colorido das flores.

Seu vestido inspira-me à poesia menina!

Ele é como você,

Como sempre a vejo!

Com encanto...

Maria Teresa O. Melo Cambronio

sexta-feira, 12 de março de 2010

Poesia Com Alegria

A Galinha Borralheira

No Sitio Vô Nel
Tem uma galinha diferente
Ela é tão gordinha...
Seu nome é Anastácia
Ela é a galinha borralheira.
Querem saber o porquê?
Ela fez seu ninho no borralho da fornalha!
Todos os dias a galinha Anastácia sobe
Para botar seu ovo.
Os ovos ficam pretinhos.
E anastácia, a galinha borralheira, nos dias
Que Félix, o dono do sítio tem que produzir
A cachaça, “ Rainha de Paracatu”
Fica doidinha, coitadinha, sem lugar pra botar.
Creio que deve botar em qualquer lugar...
A interessante galinha borralheira.

Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio ( homenagem a Felix Melo)

Rosa

Quem disse que é prosa?
Só porque usa batom cor de rosa?
É flor com perfume, cheiro de amor!
É mel na colméia é doce fulgor.
Assemelha ás estrelas,
Tem brilho e cor...
Não é prosa então
É vida sem dor!


Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio
( Homenagem a Rosa)

Paracatu- Olhares e Sorrisos


Paracatu- Olhares e sorrisos


Os olhares exprimem

O que as bocas escondem

Os sorrisos contam

O que os olhos não falam

Por entre rumos do olhar mostro as maravilhas do lugar

Olhares para a cidade que acolhe

Olhares na cultura da gente

Olhares na saúde do povo descontente

Olhares maduros e felizes na fé presente

Olhares crentes no amor

Olhares delicados e suaves na natureza a preservar

Olhares temerosos no trânsito das ruas estreitas

Olhares persistentes na educação sem tanto

Olhares profundos na arte que encanta

Olhares debochados nos políticos errantes

Olhares futuristas nos políticos honestos

Olhares emocionados para aqueles que acolhem

Olhares insaciáveis no trabalho árduo e na luta pelas classes.

Olhares inteligentes nas tecnologias do presente

Olhares sábios nas tecnologias do passado

Olhares espertamente brilhantes nos sorrisos

Sorrisos edificantes de quem constroem o futuro

Sorrisos tristes de quem as lágrimas escondem

Sorrisos matreiros para a cidade da fé e do ouro

Sorrisos atentos à beleza de Paracatu

Sorrisos grandes ou pequenos, curtos ou largos

Nas flores que nascem nas manhãs ensolaradas

Sorrisos que comandam

Que curam cicatrizes

Que vencem adversidades

Sorrisos na esperança de uma vida melhor

Sorrisos e olhares aos milhares

Vamos! Encantem-se. Aplaudam!

Gritem vivas ao passado e o presente em harmonia.

Porque o futuro só a Deus pertence!


Autora: Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio