Postagens

Mostrando postagens de 2011

Jota Bolota.

Imagem

Paracatu video Sorrisos e olhares..._0001.wmv

Imagem

Filme.wmv

Imagem

APRESENTAÇÃO DA ESCOLA ALTINA DE PAULA GUIMARÃES DE PARACATU

Imagem

movie 1.flv

Imagem

Verbos no gerundio

Imagem

Paracatu Tem Espaços Educativos

Imagem
A cidade de Paracatu como espaços de possibilidades educativas.


Paracatu é o sexto município em extensão territorial dos 853 municípios que compõem o Estado de Minas Gerais. Situada no Noroeste de Minas, Paracatu é uma cidade que se destaca pela beleza do seu turismo ecológico, pelo seu calendário festivo e pelo desenvolvimento da sua agricultura, pecuária, mineração e indústria.
A cidade de Paracatu é antiga. Foi fundada pelos bandeirantes Felisberto Caldeira Brant e José Rodrigues Froes. Eles vieram em busca do ouro, quando o Brasil ainda era colônia de Portugal.
Descoberto o ouro, a atração exercida pela abundância com que este fluía de seus veios d’água contribuiu para o rápido crescimento do Arraial de São Luiz e Sant’Anna das Minas do Paracatu. Após período de grande crescimento, o arraial foi elevado a vila com o nome de Paracatu do Príncipe, em 1798, por um alvará de D. Maria.

A queda do ouro provocou a decadência econômica …

Frutas Uai

Imagem
Fotos: Fazenda Cachoeira Estância de São Pedro (Luciano Campos Cambronio) Paracatu

Frutas Uai

Ana adora banana.
Ascensão faz doce de melão.
Carola faz licor de acerola, de carambola e de graviola.
Deni saboreia um caqui.
Diná escolhe um cajá.
Amanda descasca uma manga.
Carolina prefere tangerina.
Vera come pêra. É uma fera!
Uai e os homens?
Tarzan é louco por maçã!
Adão chupa um limão.
João come bolo de Jamelão.
Valdeci toma sorvete de sapoti com açaí.
Saú se lambuza com umbu.
Amauri se perde por pequi e murici.
Nicolau pede um cacau.
Pra Clarindo só sobrou tamarindo
Tem mais?
Não! È só isso uai!

Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio (Livro Meus Momentos- 2007)





Pró-ciências fotos

Imagem

Biografia de Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio

Auto Biografia da autora


Sou Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio, Nascida em Paracatu em 1963, filha de Geraldo Oliveira Melo e Maria José Borges de Melo.
Meus pais foram um exemplo de garra e coragem, pois pais de quinze filhos lutaram com muita dificuldade para nos criarem. Nasci numa fazenda chamada Santo Antonio, de onde, aos seis meses, fui levada, juntamente com meus irmãos, para uma vila das redondezas da cidade, chamada “Vila Alvorada”.
Fiz o primário na E.E. Afonso Arinos, o colegial na E.E Affonso Roquette e o segundo grau na E.E Antonio Carlos.
Aos 22 anos, casei-me.
Aos 28 anos, tive minha única filha, Camilla Carolina, da qual me orgulho muito.
Concluí a formação acadêmica “Licenciatura Plena Em Química” pela UEMG – FAFIPA (Faculdade de Filosofia e Letras de Patos de Minas), no ano de 2001. Fiz pós-graduação em Psicopedagogia Reeducativa pela Corpo.
Escrevi a primeira poesia, quando cursava o curso colegial, inspirada por meu professor de Português, e tam…

Louvado Seja Deus

Imagem
Louvado seja Deus

Louvado seja Deus, pelas estrelas do universo.
Pelo céu imenso, azul.
Pelo gorjeio dos pequeninos passarinhos, num concerto sem fim...
Pelas flores das gramíneas, pelas flores dos rochedos, pelas flores das campinas.


Louvado seja Deus, pela fonte que corre para o mar.
Pela criança que se amamenta, lutando pela vida.
Pelos insetos que permeiam o mundo, formando o ciclo da vida,
na cadeia alimentar.


Louvado seja Deus, pela água que mata a sede...
Pela oração que alimenta a alma.
Pelo vento que sopra, ligeiro ou lento,
levando sementes que brotam a vida.


Louvado seja Deus, pelas árvores que crescem, belas e frondosas.
Pelos albergues, que abrigam os peregrinos.
Pela música, que podemos ouvir.
Pelo trabalho, que sustenta o pão, pelo ar que respiramos,
Pela paz e pela luz.


Louvado seja Deus, pela liberdade da palavra...
Pelos pais, irmãos, pelos amigos e pelos filhos.
Pelo aroma que sentimos.
Pelos frutos, nos pomares.
Pela vida, vida nossa, vida deles, v…

Poesia Margaridas

Imagem
Uma margarida

Uma margarida, na vida.
Pétalas brancas e regulares.
Anete , Carla, Joana, Camile,
Gorete, Márcia, Luana, Jamile.

Uma flor singela. Tão Bela!
Pétalas francas e singulares.
Teresa, Ângela, Marina, Flávia, Milena,
Karina, Elena, Eleuza, Vângela.



Deusas misteriosas! Vai entendê-las...
Pétalas amarelas, singelas.
Vitória, Valéria, Cristina, Anita, Luíza.

Uma margarida, na vida, imita a mulher.
É brisa, é vento, é tempestade...Tempestades de amor, um raio que corta.
Andréia, Diná, Marialva, Naide, Amélia.

Rita é naipe, é paz, é louvor.
Uma flor! Somente uma margarida!
Pétalas francas e singulares.
É Maria José!

Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio (Homenagem às irmãs- Meus Momentos 2007)
Imagem
De tudo um pouco

Olho para o céu.
Vejo o brilho das estrelas.
Comparo-o:
Com prata e pedras preciosas.

Na terra, tão verdejante, contemplo
nossas matas.
O verde é a esperança, sorriso de criança,
espelho, conselho, ovelha, cabra, onça, templo,
exemplo...

Na praça, moleque atrevido.
Trepa nas bravas árvores,
Dobra redobra, quebra requebra.
Bloco, floco, atleta, ciclista, preguiça!
Livra sua cabeça de uma grande pedra.

Na calçada, um homem magro
grita uma promoção de loja.
Vê vidraça quebrada,
tateia o queixo, brinca pela brecha,
com a brocha, com bravura, com graça.

Gralhas, gaviões, gaivotas, girafas,
dragões engaiolados.
Tudo estranho, mas ganho broncas,
Arrancos, arranhos, tranques.
Claro! Declaro: é caro!

Preciso de palavras pra dizer
Que tenho sonho de viver, com prazer,
Nesta terra, sem problemas.
Pronta para escrever uma nova história.
Melhora, palavras, dentro, promessa, vira revira e vai...

Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio ( Livro Meus Momentos 2007)

Nosso País Brasil

Imagem
Nosso país
Brasil


O Brasil,
País de Cabral,
Dos negros, índios, portugueses, italianos, japoneses e outros mais.
Das festas de carnaval.
Oswaldo Cruz, também do Lampião.
Manto sagrado de quem trabalha.
Lugar onde há muito amor, por outro lado; tem
Desamor
Frio
Fome
Poluição
Desolação.
Mas mesmo assim
Tenho o orgulho de dizer que amo.

Maria Teresa Oliveeira Melo Cambronio (Livro Meus Momentos 2007)

Homenagem à minha mãe Maria José

Imagem
Maria José


Mãe gloriosa
afagou nos seios
Seis cravos e nove rosas.
inspiração de minha vida...
Mãe amorosa, mãe carinhosa.

Jamais sentiu cansaço ao carregar quinze vidas
No ventre, manjedoura calorosa.
serena mãe adorada, como Maria
és coroada! Amo-te mãezinha!

Maria Teresa Loliveira Melo Cambronio

O sítio encantado

Imagem
O Sítio Encantado


O sitio encantado,
é o sítio do seu Lobato.
Lá tem pássaros mágicos enfeitados,
Saci-pererê e Cuca. É fato!

O sítio encantado
é o Sitio do Pica Pau Amarelo
Lá tem Visconde e boneca falante!
Está nas estórias de seu Lobato!

O sítio encantado
é o sítio de dona Benta.
Comida farta pra todo lado!
Biscoitos e doces, no gosto
da tia Nastácia e na poesia que nos embala.

O sítio encantado
Está na alma de quem ainda é criança.
Está eco da risada de tio Barnabé,
no Sabugo que ri e dança,
está no sonho de uma criança.

Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio (Livro Meus Momentos 2007)

Lavoisier Wagner Albernaz

Imagem
Lavoisier Albernaz, professor de Lingua Portuguesa e Literatura, poeta, amigo, diretor de filmes. Um homem incrivelmente inteligente com o qual tenho o prazer de dividir este planeta Terra. Meu eterno, adorado professor Lavoisier.


Paracatu Pede Passagem

Era uma vila morena
Toda enfeitada de penas
Nos congos, nas tapuiadas;
Negras desciam as calçadas
Nas noites enluaradas
Nos tempos do chafariz.
Toca o sino da matriz
A tarde cai de matiz,
No tempo feito de ouro,
Vila do Príncipe louro,
Que os anos se contradizem!
Hoje a cidade morena
Deixou de vestir as penas...
De cantar seu “Bangolê”;
Eu queria tanto ver
Seu nome virando um hino
E a terra de Afonso Arinos
Me transformou no menino
Qu’a viu, hospitaleira, crescer!
Tem um sobradinho ali,
De lá outro casarão;
No portão velho do templo,
Tem um sino com saudades,
Que repica com vontade,
Com vontade de voltar.
Amor não precisa idade
Hoje ela é dona do zinco!
Vem, passageiro, vem cá!
Temos amor pra dar,
Ouro também no Baú
Tem muita coisa que ver
Quem vem a Paracatu!
(Poema d…