Lavoisier Wagner Albernaz




Lavoisier Albernaz, professor de Lingua Portuguesa e Literatura, poeta, amigo, diretor de filmes. Um homem incrivelmente inteligente com o qual tenho o prazer de dividir este planeta Terra. Meu eterno, adorado professor Lavoisier.


Paracatu Pede Passagem

Era uma vila morena
Toda enfeitada de penas
Nos congos, nas tapuiadas;
Negras desciam as calçadas
Nas noites enluaradas
Nos tempos do chafariz.
Toca o sino da matriz
A tarde cai de matiz,
No tempo feito de ouro,
Vila do Príncipe louro,
Que os anos se contradizem!
Hoje a cidade morena
Deixou de vestir as penas...
De cantar seu “Bangolê”;
Eu queria tanto ver
Seu nome virando um hino
E a terra de Afonso Arinos
Me transformou no menino
Qu’a viu, hospitaleira, crescer!
Tem um sobradinho ali,
De lá outro casarão;
No portão velho do templo,
Tem um sino com saudades,
Que repica com vontade,
Com vontade de voltar.
Amor não precisa idade
Hoje ela é dona do zinco!
Vem, passageiro, vem cá!
Temos amor pra dar,
Ouro também no Baú
Tem muita coisa que ver
Quem vem a Paracatu!
(Poema de Lavoisier Albernaz,
no livro Viagem absoluta, de 1985)

Comentários

  1. Parabéns,professora só em lê esse poema cria uma vontade grande de conhecer essa cidade que pelas letras empregada nele,percebe-se um grande carinho que você tem por ela.

    ResponderExcluir
  2. O que é desse grande poeta? Dê-me notícias se possível for.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Peça Teatral- Drogas As Tentativas

Teatro x Escola Em Tempo Integral - Artigo

Texto para o estudo de Física - Movimento