sexta-feira, 30 de abril de 2010

Pensamentos de Maria Teresa Cambronio

O necessário ao sucesso não é perder ou ganhar é jogar com sabedoria.





Sou como a água imponente que corre sem nada temer: sou como as pedras que rolam pela força dessa àgua.




Os passarinhos sabem onde encontrarem água.
Os insetos bebem-na numa gota de orvalho....
O homem polui-a e desperdiça-a.



A cor da pele não faz os homens diferentes, mas únicos perante Deus!



A pigmentação da pele não pode estar em questão em um país que se fundiu três raças e formou esse povo tão hospitaleiro, o Brasileiro.


Sou como aquelas rochas que só desmancham com a ação do tempo.


Quando o problema não tem mais solução é sinal que já houve a resolução.


Só peço a Deus que livre-me do egoísmo que a alma destrói.


A natureza é a obra prima que Deus nos presenteou para admirarmos e lembrarmos de agradecer por fazermos parte dela. Então agradeçamos cuidando e preservando.


A maior vergonha de um professor é saber que ele alfabetizou os políticos que decidem como remunerá-lo tão mal.



Autora:Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Big Bang


O Universo

Movimento!

Balé Divino!
Planetas, cometas, estrelas, luas...
Num harmonioso show natural.

A explosão!

Criador, energia infinita,
Princípio meio e fim.
Radiação de amor.

Universo é Deus,
Tudo nele gira move remove.
É elástico,
É fantástico! É real!
E continua expandindo...


Autora: Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio
Livro editado em 2007 " Meus Momentos"

Texto para o estudo de Física - Movimento

O MUNDO QUE MOVIMENTA

Um belo e grande navio movimenta no mar deixando para trás um rastro de espuma branca que parece uma pluma.
Uma grande trajetória, para contar a história de modo retilíneo e curvilíneo!
Um avião gigantesco, cujas asas parece as de um grande gavião,
faz um trajeto no céu azul, em dia de nuvens brancas. por onde passa deixa lançar bombas de balas e bombons de cores diversas.o piloto que as observa cair ver que tudo desce numa reta vertical para baixo.As crianças enlouquecidas e frenéticas, cá embaixo na terra, vêm uma grande parábola no ar.
Em relação ao imenso Oceano Atlântico, o navio é apenas um ponto material.
O avião ao aterrizar no aeroporto da cidade de Paracatu, torna-se
um objeto identificado nas suas dimensões, ou seja é um “um corpo extenso”.
O mundo movimenta e os ponteiros de um relógio podem demonstrar o movimento circular!


Autora: Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio

Interpretação do texto

1) Como é chamada a linha descrita por um ponto material?------------------------------------------------------------------------------------------ -------------------------------
2) Quando a trajetória do móvel é uma linha reta é chamada de----------------------------------------------------- 3) E quando se trata de uma curva?----------------------------------------------
4) A autora mencionou no texto, uma bomba de balas e bombons: explique como um observador que está no avião e um observador que está na terra, vêm a trajetória dessa bomba.----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
5) Defina corpo extenso e ponto material.-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Intertextualidade

A interxtualidade presente nas peças "A gaivota"/"Hamelet": Tchecov/Shakespeare.

Em primeiro lugar lembrarei aqui brevemente o que é intertextualidade. Intertextualidade é quando ocorre um diálogo entre dois textos, podendo abranger não somente em obras literárias, mas em uma infinidade de tipos textuais.
Por exemplo entre a peça de Shakespeare "Hamelet e a peça de Thecov " A gaivota" faço um breve comentário sobre intextualidade das duas.

*A relação entre mãe e filho (Arkadina e Treplieff) é um reflexo do que ocorre entre o filho Hamelet e a mãe, Gertrudes em "Hamelet".
Tanto Arkadina quanto Gertrudes têm muita pompa e fama. Uma é atriz renomada (Arkadina) e a outra é rainha da Dinamarca ( Gertrudes)
* Nina comenta sobre a pouca ação que há na peça. Em Hamelet mostra a intextualidade, quando se fala como os atores devem apresentar a peça à corte.
* Em Hamelet há um desafio a um duelo entre o tio e o marido de sua mãe Gertrudes. Em "A Gaivota", Treplieff duela com o padrasto, do qual por motivo de ciúmes da amada, não era de seu agrado.
*O suicídio também presença de intextualidade; Em Hamelet, Ofélia se mata em um lago e em "A Gaivota", Treplieff tenta suicídio no acto II e depois há o suicídio com arma de fogo.
* Encontrei outras presenças de intertextualidade: Posição social, opiniões sobre vida e morte, gosto pela água, misticismo, amor insatisfeito etc.

Maria Teresa - Artes Teatro - paracatu

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Luz e música no teatro



Como Deus e Mileto

A luz era boa, Deus viu e separou-a das trevas.
Talles de Mileto em seus passeios diários sem querer
esfregou âmbar em pelo de gato e logo a luz elétrica
surgiu.
A partir do século XVII, a luz elétrica delimita o espaço cênico!
Figuras de fundo, dão lugar à luz,
que em qualquer ponto que incide
uma nova ação se faz!
Harmonia entre objetos e atores
modela o rosto de quem está em cena
é vida difundindo em cores
Viva o som!
música dialoga com movimentos suaves e rápidos do ator
desnuda seu estado interior e divinamente
contracena com a luz
Luz e som são elementos vivos do teatro
revelam emoções e sentimentos
Como Deus e Mileto ...

Poema de Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio - Artes Teatro - Paracatu

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Você



Você...

Quando te conheci minha vida era sem cheiro, sem cor.
Você surgiu como um raio de luar aquecendo meu coração
que há muito não sentia amor.
O momento foi de magia
você falava e eu ouvia
ouvia com meu e coração
Foi assim tão simples...
Somente eu e você
o doce e o prazer
o sentir e o querer...
como a vida que brota
como o céu e o mar
a relva e o orvalho
da cor do pecado
assim... amo você
v
o
c
ê

é demais enfim...

Maria Teresa Cambronio

sábado, 3 de abril de 2010

De Valéria para Maria Teresa


Teresa

Do ar você é a brisa mansa.
Das flores o cheiro,
Do céu as estrelas
Do mar as ondas, que vão e que vêm, mas sempre presentes.
Da primavera são as flores,
Flores que encantam embelezam que revelam sentimentos, que enfeitam.
Cada uma delas representa suas qualidades, até mesmo aquelas que faltam pétalas, pois mesmo assim, não deixam de serem flores.
Assim é você! Mesmo com defeitos, não deixa de ser simplesmente Teresa.
Teresa quer dizer beleza, realeza, que traz surpresas...
Não posso mais escrever, sabe por quê? Porque o céu, o mar, as flores, a floresta, as palavras... São apenas encantamentos, que se completam, quando se pensa em você Teresa.

Autora: Valéria Oliveira Melo Gomes

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Paracatu













Paracatu


Terra amada e hospitaleira,
Onde repousam os mais belos colibris.
A serra da Boa Vista
abre as vistas a ela,
cidade cantada por Afonso Arinos,
Oliveira Melo, Lavoisier Albernaz,
Aparecida Teixeira e muitos mais.
Terra varrida pelos escravos,
em busca do ouro que brilha.
Aqui se fez muita história.
Aqui se faz muita glória.
Tem pequi, jatobá, murici e ingá.
No canto dos bem-te–vis,
Há alegria e poesia.
No sossego das fazendas,
no molejo das morenas
e no gosto da cachaça
fazem belas serenatas.
Paracatu...

Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio-Livro "Meus Momentos" Ed Paracatu 2007