Poesias com amor...

ACRÓSTICO


Nada é mais belo!
Apenas zelo...
Tanto conforto... reflito.
Universalmente infinito.
Regatos, riachos e meus sonhos.
Esmero! Relento... Estou atento.
Ziguezagueando!
Aleluias e panapanãs coloridos são reflexos da vida.



Sou tua estrela

Sou tua estrela.
Siga meus sonhos:
Só eu te amo.

Como seria?
Se visses, na rua,
O amor que é lua?

Quase sem cheiro,
Por esses caminhos
E pelo passeio,
Só eu existo.

Sou tua estrela.
Dize meu nome:
Só eu te amo.

Como seria?
Se pegasses em minhas mãos,
E sentisses as minhas linhas?

Quase sem tato,
Pega o retrato.
Dou meu recado:

Sou tua estrela,
Dize meu nome:
Só eu te amo.


As árvores

Tão floridas, tão frondosas...
Como nuvens, como sorvetes,
As árvores, verdes.

Tão floridas, tão frondosas...
Como véu, como o céu.
As árvores, no leito, fogosas.

Tão floridas, tão frondosas...
Como mel, no favo, é lindo!
As árvores, os ninhos dos passarinhos.



Borboletas

São tantas...
Amarelas, azuis,
Num bloco que reluz.
Num vai e vem sem fim.
Pairam pelo jardim.

São pretas, roxas e velozes.
Atrozes...
Num vai e vem sem fim,
Pairam pelo jardim.

São alaranjadas, rajadas, afiadas,
Enfileiradas...
Num vai e vem sem fim,
Pairam pelo jardim.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Peça Teatral- Drogas As Tentativas

Teatro x Escola Em Tempo Integral - Artigo

Biografia de Maria Teresa Oliveira Melo Cambronio